Eu estou aqui


Eu tou aqui .

Cansado, mergulhado num oceano de pensamentos e
Perdidamente exausto e ansioso, mas tou aqui .

Espero que o vento me traga novas e arrebatadoras paixões,
Abraços, afagos e beijos e neste imenso mar
Permitir-me afogar e dizer :

Eu tou aqui !!!

Comentários

Anónimo disse…
O Canto do Mar!

O som com que enfeitas a paisagem
confunde-se com o canto do mar
esse canto agitado, que me
invade o peito,
corrompe-me a alma!

As palavras soletradas ao ouvido,
soam...
como se fossem gemidos
desvanecidos nessas ondas
branquidas
nessa espuma de sabão,
onde a saudade
se esconde p`ra chorar.

Há suspiros
enfeitados de papoilas,
que deslizam perante o olhar
que se perde
flutuando em melodia...

na longitude deste Mar!
Mélita disse…
Onde estás?!

Afinal, desapareces-te, não te encontro aqui!...
Busco sem cessar tua presença aromática, teu pensar cor do fogo que arde e não se vê!

Deambulo perdida no arco-íris que riscamos e que teimas destruir na identidade que desvendas, mas que sempre existiu.

Por que não aceitas que gostem de sonhar?

Não destruas a ousadia colorida, teus desejos melódicos, perfumados, só porque, a musa que te inspira, não é a deusa dos teus sonhos!...

Procuro-te aqui!!! Aqui!

Aqui nesta paisagem onde o mar entra e a terra se entrega a um desfolhar doce, sereno, pleno de emoção.

Aqui! Sim! Aqui!

Neste mar em confusão!... onde desvendo frases construídas por almas Nobres, que se erguem em protesto contra a opressão!...
ROMMA disse…
... e porque me perco nas horas a ver o mar e nunca enconro nele uma ponta mas só o infinito... resolvi postar um ligeiro comentário.
Lindos os teus poemas, tem sentimento, tem conteúdo, tem... algo bastante forte de ti.
Bjs
Romma
arteecultura disse…
Sabes!

Sinto saudades! Saudades de quando desfolhava esta página ilustrada. E, entre linhas, descobria teu olhar esperançado pelo retorno de um pensar inexistente, mas que teimava em existir, constantemente...
E, no fingimento do olhar, no suspanse das palavras por dizer, adivinhavas as mãos que riscavam sorrisos de anseios, colhidos em meu ser...!

Amélia F.
Mélita disse…
Saudade!

O sonho findou! As palavras morrem antes de nascer!
O pensamento... esse, nem chega a existir, não tem razão de ser! Se não lhe posso dar vida... para quê? Para quê deixar que respire a aridez da saudade?!
Deixar que mergulhe, em ondas de um passado, que terminou antes de existir?

Se não entendes o coração que flutua em mãos que acarinham! Deambula em busca de um sorriso, de um oásis, de um afago sem sentido! Para quê, continuar a palmilhar este chão, onde a terra sangra cada vez que a piso?!
Sinto que, nesta margem, minha viagem terminou! Convido-te a alcançares o caminho que risquei, a viagem por mim iniciada...
Vem! Vem amigo! Vem comigo naufragar nestas ondas de palavras... Aqui encontrei meu refúgio!
Sozinha, desvendo, rasgo oceanos infindos, alcanço o horizonte, o infinito... permito-me ser eu!

Mas... Sabes?! Sinto saudades de tudo que ficou por dizer...!!!

http://ondasdepalavras.blogspot.com

Mensagens populares deste blogue

O tempo e os tempos