domingo, março 20, 2005

Por onde anda você

Por onde anda você


Por onde anda você, que não anda mais comigo...
E pra onde vou eu agora se não sei onde você está...
Por onde anda você, com a metade que levou de mim...
Por onde viajam teus olhos agora
e por quem brilharão os meus , se você foi embora...


Samuel da Costa
(Porque vale a pena visitar o autor (Porque sim))

terça-feira, março 08, 2005

A TODAS AS MULHERES ( E principalmente aos homens)

Posted by Hello

Fotografia daquí


Hoje existe quem comemore o DIA DA MULHER, como se existisse algo digno de se chamar :
- COMEMORAÇÃO . (...)

Estou convencido de que as MULHERES em geral concordarão comigo, mesmo que em particular por um motivo ou outro não partilhemos dos mesmos pontos de vista .

De facto se observarmos a história, a mulher na maioria das culturas não é mais objecto/mercadoria ou ser humano de 2.ª categoria, mas daí á tão desejada e justa IGUALDADE de DIREITOS e OPORTUNIDADES...ainda falta percorrer um longo caminho .

Caminho que os homens têm de percorrer em busca do equilibrio e sensatez.

Caminho que as mulheres têm de percorrer, começando na educação dos filhos e filhas e executando a cada dia na sua vida, onde quer que ela aconteça.

Não gosto do DIA DA MULHER, pela carga MACHISTA que ele me recorda, mas por ser solidário nesta luta, acreditem-me ESTOU CONVOSCO . (homens ou mulheres)

terça-feira, março 01, 2005

A poesia...consequências

Posted by Hello


Pequenos grandes detalhes…representam/traduzem mudanças profundas.

O facto simples de alguém que usa/usou a escrita como forma de expressão e subitamente o deixa de fazer, aparentemente (para alguns) pouca importância têm.

Porém para quem um dia experimentou uma análise à sua vida, constatou que no trajecto percorrido, tudo o que somos no presente é resultado de conhecimento adquirido pela experiência ou estudo, obtidos em plena interacção com o meio e as pessoas, e o que somos no presente não representa o que éramos no passado recente ou distante e tão-somente o que somos HOJE.

Voltando aos detalhes e ao primeiro já referido no “post” anterior:
- A Poesia como factor de mudança, ou melhor a ausência de poesia.

Hoje percebo melhor a mudança que a ausência da poesia (escrita) provocou:
Frieza, insensibilidade, dureza verbal e emocional, menos tolerância e alegria não emotiva.
Consequência? Desapareceu a magia que emoldura a paixão e a alegria que contagiam e atraem “as multidões” ao mesmo tempo que nos “rouba” a juventude.

Hoje percebo melhor que é cedo para MUDAR, bastou e bastará sempre parar um pouco e redescobrir quem somos de verdade e decidir se queremos de facto sê-lo!

O tempo e os tempos

Foi aqui, no tempo Enquanto sorvia o teu silêncio, que Reclinando a cadeira, somei Todos os tempos, que vividos Através da pausa dos sen...