Encontros...e desencontros !


O tempo e as pessoas


Eu sei que foi à muito tempo atrás, para ser preciso foi há dezoito anos.

Passámos praticamente todo o dia juntos, o último dia, o nosso último dia.

Voltámos de autocarro para casa, jogámos snooker e conversámos longa e demoradamente sobre o futuro imediato, aquele que 3 dias depois nos separaria.

Estivemos junto à ponte (a única que existe até hoje e onde apanhaste o autocarro para tua casa) e foi ali que nos abraçámos, beijámos e despedimos.

Durante vários meses, as nossas palavras atropelaram-se vezes sem conta ao cruzar o atlântico, e em cada palavra voava um pouco de nós em busca de conforto e companhia.

A distância, o amadurecimento e as decisões que tomámos afastaram-nos e cada um seguiu o seu caminho.

Passaram-se dezoito anos até que voltámos a nos encontrar!

E percebi que já não sou o mesmo e nunca mais voltarei a sê-lo …

Comentários

Filipa disse…
Desculpa Carlos. Foi lamentável. Como me pude esquecer do teu texto no outro email?! Imaginas que foste o único a responder para o email de onde realmente enviei? Tudo o resto enviou para o mail.pt... Desculpa.
Foste um senhor e nem sequer disseste nada.
Visita o blog, pfv.

Beijo.
Pecola disse…
:) Acho que nunca somos os mesmos de qualquer forma.. Cada vez mais acredito que palavras como "sempre" ou "nunca" nos humanos não se aplicam..
Anónimo disse…
Carlos:
Encontrei teus passos no Meu Porto e vim conhecer o teu cantar. Passeei por tuas letras e sinto a alma embriagada de poesia. Sobre esse teu post, digo que vivi a mesma (ou quase história). Como relatas ter-te acontecido,também eu, nunca mais fui a mesma. Há fatos, há pessoas que mudam, irremediavelmente, algo dentro de nós.
Voltarei, guardarei a rota para esse teu cantar, do mesmo modo que esperarei tua Nau atracar novamente no Meu Porto.
Anónimo disse…
Carlos:
Postei um comentário sobre teu último post e, esqueci-me de assina-lo. Faço-o agora:

Míriam Monteiro - http://migram.blog.uol.com.br - Meu Porto
Primula Bramble disse…
Existem momento na vida que nos transformam... E que, por mais que queiramos nunca mais voltamos ao que fomos... Mas, pensando bem, crescer é mudar, é transformarmo-nos em seres diferentes... O que é preciso é que o que nunca mude seja o nosso desejo de viver, de amar e de ser feliz! :)
Luis Pereira disse…
Fiquei sem palavras.

Temos Poeta.

Um abraço.
Karlos Alberto disse…
Luís ,

Poeta eu ? Não sei se ...
Filipa disse…
E num sorriso confirmaram que se calhar os caminhos separados resultaram melhor!! :) Beijo
MONALISA disse…
Sentimo-nos os mesmos na nossa essência, mas o tempo muda tudo, afinal. Beijo
Estrela do mar disse…
...é...subscrevo o que disse a Monalisa...a essência da "nossa" personalidade...dos nos "nossos" sonhos permanecem...o tempo...é que nos faz ver as coisas de uma outra forma...

Um beijinho*.

Mensagens populares deste blogue

O tempo e os tempos